PROJEÇÃO
LOGOTIPO DNEGOCIOS

        Postado em abril de 2017         Adicione aos favoritos

ADRIANA GROSSE

PROJEÇÃO


O que você vê nos outros pode estar em você.

.
Psicóloga Adriana Grosse



Se você é uma pessoa que tem pensamentos e sentimentos do tipo: "Agora não é o momento", não viaja, não sai para comer fora, não vive o presente e se incomoda com as pessoas que fazem isso; Fala que todo mundo faz o que quer "menos eu"; "eu não tenho sorte"; critica a vida das pessoas, se elas usam tatuagem, se elas compram um carro novo, se usam uma roupa diferente; culpa as pessoas, sem nunca se responsabilizar pelos seus atos, o outro é sempre culpado; Se você se incomoda com as pessoas que agem diferente de você, sempre que o outro te incomodar, você deve ficar atento. Existe uma grande possibilidade de serem suas estas características que você não aceita no outro. Quando o defeito do outro salta aos olhos, na verdade o defeito ou aquela característica que te incomoda é sua, e está escondida no seu inconsciente e é por isso, que você se preocupa tanto com a vida do outro.
        O outro acaba funcionando como um espelho, onde somos confrontados com o que não queremos ver em nós mesmos, ou queremos ter e não conseguimos, nossa reação é “recusar”, esse reflexo de forma negativa criticando a pessoa. Portanto, é importante pensar que se você é uma pessoa que se irrita facilmente com o outro e se incomoda com tudo que ele faz, a questão é você. Isto acontece quando eu não me aceito e projeto no outro, características que são minhas, recriminando no outro o que é meu. Assim, segundo Freud, a projeção é um mecanismo de defesa do ego, no qual o sujeito atribui ao outro características ou ideias que reprime em si próprio.
        Pessoas que não se aceitam, também tem dificuldade de aceitar o outro. Por isso, projetam nos outros as suas frustrações, medos, angústias, desejos, etc. Pessoas com este perfil, frequentemente, não assumem seus erros, atribuem a infidelidade ao parceiro, atribui a outra pessoa a culpa dos próprios fracassos, critica o vizinho, parentes por fazer coisas diferentes, viajar, sair, por estudar e deixar a mulher em casa, por ir passar o fim-de-semana romântico deixando os filhos com a sogra, por comprar um carro novo, etc. Contudo cada vez que isso acontece, é um desejo de quem crítica viver a situação do outro. Outro mecanismo de defesa usado por quem projeta seus defeitos no outro é o mecanismo de negação, a pessoa nega que estas características sejam dele próprio, podendo desenvolver um transtorno psiquiátrico como depressão, ansiedade, obsessões e fobias.
        Pessoas que convivem com a pessoa que projeta nos outros seus defeitos, muitas vezes também acabam adoecendo mentalmente, pois, vivem com uma pessoa que só ela tem razão, nunca aceitando suas opiniões, e tudo o que fazem é objeto de crítica. A pessoa que nega seus defeitos, muitas vezes é uma pessoa rígida e egoísta, que não consegue se colocar no lugar do outro, nem ver o que é importante para o outro, rejeita tudo o que é diferente, colocando seus familiares ou amigos, na posição de submissão (quando estes não conseguem romper o ciclo). É uma pessoa negativa, vê maldade em tudo e se sente irritado com a alegria do outro, não se permite sair de casa, pois, no fundo ele se irrita com tudo o que vê nos outros e não aceita nele mesmo. Pare para pensar, se várias pessoas já falaram a mesma coisa para você e você não aceita, o problema pode estar em você e não no outro, e é muito provável você esteja negando seus defeitos.
        É importante pensar que pessoas mentalmente saudáveis, não se incomodam com a vida do outro, vivem no presente e não no passado e nem no futuro, conseguem desfrutar o hoje de maneira equilibrada e se colocar no lugar do outro, responsabilizando-se por suas escolhas e fracassos.
        Caso, você não se encaixe nestas características, procure um psicólogo. O psicólogo terá a função de trabalhar o autoconhecimento, a aceitação e a autoestima, que muitas vezes ficou difusa na primeira infância por causa de traumas e modelo familiar, crescendo um adulto cheio de conflitos e com crenças negativas de si mesmo que projeta nas pessoas. Aprender a reconhecer essas emoções em nós mesmos, pode ajudar-nos a viver uma vida mais saudável emocionalmente conosco e com as pessoas que estão ao nosso redor.


Psicóloga & Coaching Adriana Grosse
CRP 08/18360


LOGOTIPO DNEGOCIOS.



SEPHORA






Seleção de Livros! Clique e confira.