Nosso Cachorro Tigrão - Naquele dia nosso cachorro ultrapassou todos os limites
       
LOGOTIPO DNEGOCIOS

Nosso Cachorro Tigrão



cachorro-fila-brasileiro-tigrado-de-preto-e-dourado-min.

.

   Naquele dia nosso cachorro ultrapassou todos os limites

Certamente você conhece a fábula do patinho feio, aquele que não era um pato, mas um belo cisne. Pois bem, o Fila Brasileiro tigrado de preto e dourado, também conhecido como Brazilian Bullmastiff, é assim.
        Nasce bem feinho, parecendo mais um pedaço de churrasco queimado depois, em pouco tempo, começa a ficar parecido com um mini búfalo, de bochechonas pelancudas. Cresce mais um pouco e adquire finalmente o porte de um lindo e garboso cão fila. O corpo do cachorro adquire uma postura nobre, como a de um alazão, as passadas são longas e cadenciadas lembrando as de um puma. O topo craniano fica arredondado e liso como o de um touro nelore e a cara é uma cara séria. De pouquíssimos amigos. O cachorro fila brasileiro tigrado de preto e dourado é fundamentalmente duas coisas. Um crianção bonachão brincalhão e amigo ou uma máquina de destroçar. Depende do que ele tiver pela frente.

Nosso cachorro era um fila brasileiro tigrado de preto e dourado.

A maioria de nossos amigos conhece já a história dele porque o fato, este que vou contar agora, ficou bastante conhecido na nossa região. Tigrão era muito eficiente como cão de guarda. A principal característica do fila brasileiro é seu temperamento equilibrado e dócil. Alguns registros o descrevem como um “cão de colo aprisionado num corpo enorme”, mas isso nunca desmereceu a aptidão natural do Tigrão para a função de guarda. Talvez seja a raça de cachorro com o melhor desempenho noturno, porque é muito silencioso, possui olfato e audição extremamente apurados. Não é muito rápido, mas compensa isso com muita força, como é um cachorro astuto e furtivo por natureza não depende muito de velocidade. Foi criado, não para atacar, mas para acuar e subjugar o invasor. Tigrão tinha a marca desta característica em sua maneira de agir. Era um intimidador só no olhar, Nunca rosnou pra ninguém. Nem era preciso. Só aquele porte e aquela cara feia e silenciosa bastavam para desestimular os mal intencionados.
        Podem ser excelentes companhias para crianças, uma vez que são muito resistentes e aguentam muito bem as brincadeiras mais abrutalhadas. Para as pessoas da família, Tigrão era na verdade um amigão, calmo e atencioso. Brincalhão e inofensivo. Adorava brincar com as crianças da casa e da vizinhança e apesar de ser um cachorro pesado, com quase 60 quilos, nunca machucou ninguém. Claro que quando a gente chegava, tinha que se preparar para o impacto com aquele gigante, se não ia para o chão mesmo. Fora isso, Tigrão era cachorro de dentro e de fora de casa. Era de sala, cozinha e quintal e sempre soube se comportar.

Naquele dia nosso cachorro ultrapassou todos os limites

Era véspera do dia das mães e a família toda ia se reunir. O churrasco tinha sido preparado e quilos de filé, costela, fraldinha, e picanha, estavam em cima da mesa da cozinha pegando tempero. Junto, noutra bacia uma montanha de linguiça... toscana....da Sadia... uma loucura!
        Pois bem. A porta da cozinha não era fechada nunca, ficava só encostada e naquela noite ninguém teve o cuidado de tomar a iniciativa de fechá-la. Com uma patada só Tigrão entrou. Ficou um tempão balançando aquele cabeção de fila diante daquele banquete, e degustando o cheiro delicioso daquele ambiente dos sonhos, e já que não era de ferro, atacou.
        A primeira vítima foi a bacia de carne. Comeu praticamente tudo. Se lambeu e se dirigiu vagaroso, balançando aquele cabeção de fila, para a montanha de linguiça... toscana... aquela loucura!
        Pela manhã a casa foi acordada por um grito de criança. Tigrão estava estatelado no piso da cozinha, enorme, redondo, imóvel, de olhos arregalados.
        Tá morto? Perguntou alguém, e Tigrão balançou levemente a pata traseira. Estava vivo. Mãe ficou furiosa. Não tinha sobrado nem um pedacinho de coisa nenhuma aproveitável, e eram quase dez quilos de ... ÓDIO!! Ai que vontade de acabar com esse infeliz a vassouradas!!
        Mas o coitado do infeliz já estava tendo o castigo merecido, e seguia todo mundo com aquele olhar de “foi mais forte do que eu”. O veterinário chegou dez minutos depois de receber o chamado. Aplicou alguma coisa no Tigrão e foi um alívio geral saber que o nosso cachorro não corria risco nenhum além das vassouradas da Mãe. Suas funções vitais estavam perfeitas.
        Curioso como todos ficamos gostando do Tigrão ainda mais e até hoje, oito anos depois do acontecido, e um depois que ele se foi, ainda nos lembramos do nosso cachorro e do episódio com carinho.
        Conto esta história para demonstrar que cachorro às vezes faz coisas que nos aborrecem, mas estão apenas obedecendo aos instintos e à natureza deles.
       

Ferimentos por mordida de cachorro

A cada ano são relatados mais ferimentos por mordida de cachorro. As vítimas são geralmente crianças com menos de doze anos e profissionais de entrega. As raças mais agressivas são os chow-chow, rottweiler, pastor alemão e o terrível pit bul.
        De uma maneira geral, em uma população canina, os machos não castrados são os que mais mordem. Em outras palavras, manter um lindo chow-chow não castrado em uma casa com quatro crianças pequenas pode não ser uma boa ideia. Isso não quer dizer que você não possa ter cachorro de raça com tendência a morder ou que deva esperar até que as crianças estejam na faculdade para comprar um cachorro. Significa que você como dono, precisa estar a par da situação, entender melhor por que e quando seu cachorro pode morder e tomar medidas para evitar estes acidentes.
        Em pelo menos metade dos casos, o acidente é provocado pela vítima, mesmo que não intencionalmente. O cachorro normalmente dá sinais claros, visíveis para os outros cães e para pessoas que entendem seu comportamento, de que vai morder. A pessoa ou criança ignora os sinais do animal e passa dos seus limites. Por exemplo, quando acontece o encontro entre um cachorro de rua e uma criança, quase sempre a criança grita e sai correndo assustada. Isso ativa o reflexo de perseguição no cachorro ou em alguns casos é interpretado por ele como um convite pra brincar, e os mal entendidos podem se suceder até que sem que ninguém entenda mais nada, alguém sai mordido.

A linguagem do cachorro

A linguagem corporal canina que sinaliza que está pronto para morder inclui encarar, mostrar os dentes, rosnar, ficar com as pernas esticadas, pelos das costas eriçados e a cauda tensa. Isso significa: “Tô avisando! Você tá me tirando do sério! Vou te morder!!” O aviso final é um olhar mais intenso e um rosnado mais furioso que antecede a investida e corresponde a xingar você, (você sabe do que). Quando a cabeça do cachorro abaixar e as orelhas mostrarem um leve retesamento, você não vai ter mais tempo pra fugir. Uma pessoa sensata teria recuado antes. Se o cachorro é seu, você precisa de ajuda profissional. Os cães mordem por medo, defesa (incluindo aí a defesa dos seus donos), dor ou para proteger o território. Um especialista pode ajudá-lo a descobrir por que seu cachorro morde e desenvolver estratégias para mudar isso. Os donos podem achar engraçado quando os cães perseguem carros ou bicicletas. Mas isso indica tendência à agressividade. Agindo como um dono responsável, o seu cachorro só lhe dará alegrias.

       




LOGOTIPO DNEGOCIOS







Seleção de Livros! Clique e confira.





Lingerie Sale





SandroMoscol>





www.trivago.com.br