COMPULSÃO POR COMPRAS - O perigo de comprar compulsivamente.
      
LOGOTIPO DNEGOCIOS

ADRIANA GROSSE

COMPULSÃO
POR COMPRAS

.
Psicóloga Adriana Grosse

Está chegando a data esperada o ano inteiro por muitos, o natal! Sim, muitas pessoas esperam pelo final do ano, devido às festividades e todos os encantamentos do natal e ano novo. É uma época de rever, amigos, parentes, férias e de presentear a quem amamos. Aí pode morar o perigo e muitos cartões de créditos nessa época podem correr o risco de ficar sem limites e muitas vezes não é pela necessidade de compras, mais, sim pelo prazer da compra. E é no prazer da compra que pode morar o perigo, ou melhor, na compulsão pela compra.
     Geralmente uma pessoa que é compulsiva por compras, já tem uma personalidade ansiosa, o que pode ser intensificado com o espirito natalino.
     Na compulsão por compras existe um impulso doentio para consumir sem qualquer objetivo específico ou necessidade, inicialmente é acompanhada de prazer, seguida posteriormente de sentimento de culpa. O comprador compulsivo é insaciável. Seu prazer não está na posse ou no usufruto dos objetos, mas no efêmero ato da compra. A pessoa nessa condição vive em função da compra, algo que gera um sofrimento profundo e pode, até mesmo, comprometer seu orçamento e também o de seus familiares. As compras compulsivas podem levar a sérios problemas psicológicos, ocupacionais, financeiros e familiares que incluem a depressão, enormes dívidas e graves problemas nas relações amorosas.
     Muitas vezes também a compulsão já é um reflexo do sofrimento interno, devido a traumas, utilizando a compra como forma de tampar o vazio interior e de amenizar o sofrimento psíquico.
     Quando a compulsão por compras se apresenta de forma severa, ela se torna uma doença psicológica chamada Oniomania. O transtorno, caracterizado pelo descontrole dos impulsos, atinge cerca de 3% da população. Os portadores da Oniomania, também conhecidos como shopaholics ou consumidores compulsivos, frequentemente não conseguem resistir à tentação de comprar. Chegam a não pagar contas essenciais para gastar com supérfluos. A gratificação e a satisfação obtidas através da compra não os permitem avaliar a possibilidade de futuros prejuízos.
     Uma pessoa só é considerada um consumidor compulsivo se é incapaz de controlar o desejo de comprar e quando os gastos frequentes e excessivos interferem de modo importante em vários aspectos de sua vida. Os principais sintomas são: Comprar ou gastar dinheiro quando sente nervosismo, raiva, solidão ou ansiedade; esconder as compras da família ou do parceiro; sentir-se triste ou perdido longe dos cartões de crédito; mentir sobre a quantidade verdadeira de dinheiro gasto em compras; comprar sempre no cartão, nunca no dinheiro; sentir euforia ou êxtase ao fazer compras; sentir culpa ou vergonha após compras excessivas; ter pensamentos compulsivos sobre o dinheiro e dedicar muito tempo fazendo “malabarismos” com as contas ou com as dívidas para acomodar os gastos.
     Uma característica muito importante é que as compulsões podem mudar ao longo do tempo, ou seja, uma compulsão por compras pode se associar ou se transformar em compulsão por comida ou compulsão por jogo e assim por diante.
     A compulsão por compras vem sempre acompanhada de ansiedade, quase sempre acompanhada de depressão. Podem existir excessos nos períodos de euforia ou de mania nas pessoas com transtorno bipolar, mas não podemos caracterizar como compulsão. Encontramos a compulsão em portadores de Transtornos Obsessivo-Compulsivos.
     Existem diversas abordagens terapêuticas eficazes, desde o uso de modernos fármacos específicos da classe dos antidepressivos ou ansiolíticos e acompanhamento psicoterapêutico com forma de descobrir e tratar a causa da compulsão.
      


Psicóloga Adriana Grosse
CRP 08/18360

Leia tambem: Novembro Azul


LOGOTIPO DNEGOCIOS